Deodoro da Fonseca

Político brasileiro

Biografia de Deodoro da Fonseca:

Deodoro da Fonseca (1827-1892) foi o proclamador da República. Militar e primeiro Presidente do Brasil. No dia 15 de novembro de 1889, o Marechal Deodoro da Fonseca, decretou a proclamação da República brasileira, o que resultou na queda do Governo Imperial. No dia seguinte à proclamação, organizou-se um Governo Provisório chefiado pelo próprio Marechal Deodoro da Fonseca. O primeiro Ministério da República foi formado e as primeiras medidas estabelecidas. Em 21 de dezembro de 1889, foi convocada a Assembléia Constituinte, que deveria elaborar a primeira Constituição da República brasileira e, em 24 de fevereiro de 1891, a primeira Constituição Republicana foi promulgada. O Marechal Deodoro da Fonseca foi escolhido para primeiro presidente do Brasil. O mandato de Deodoro terminou em 23 de novembro de 1891, com sua renúncia.

Deodoro da Fonseca (1827-1892) nasceu na cidade de Alagoas, hoje Deodoro, no Estado de Alagoas, no dia 5 de agosto de 1827. Era filho do militar Manuel Mendes da Fonseca e Rosa Maria Paulina da Fonseca. Em 1843, Deodoro inicia sua carreira militar no Colégio Militar no Rio de Janeiro, completando o curso de Artilharia em 1847. Em 1848 assume, como tenente, a Revolução Praieira em Pernambuco. Em 1856 foi promovido a Capitão e enviado ao Uruguai. Em 1868 recebeu o posto de Coronel, em 1874 foi promovido a Brigadeiro e em 1884 recebeu a patente de Marechal. No ano de 1885 tornou-se comandante das armas da província do Rio Grande do Sul.

Deodoro da Fonseca casou-se no dia 16 de abril de 1860, com Maria Cecília de Souza Meireles. O casal não teve filhos, mas seu sobrinho Hermes da Fonseca, era considerado como filho do casal. Hermes da Fonseca se tornaria o 12º presidente do Brasil.

O Ideal Republicano já havia se instalado no Brasil com vários movimentos, tanto nas colônias com a Guerra dos Mascates, em Pernambuco, e na Inconfidência Mineira, como também no Império com a Confederação do Equador e a Guerra dos Farrapos. Mas foi com a Guerra do Paraguai que o Movimento Republicano se fortaleceu. O Marechal Deodoro da Fonseca foi convidado para chefiar esse movimento, que reunia militares e fazendeiros do oeste paulista.
Deodoro aceitou a chefia do movimento em 11 de novembro de 1889, quando se reuniram em sua casa, Quintino Bocaiuva, Aristides Lobo, Rui Barbosa, Francisco Glicério (líderes republicanos civis) e os militares Benjamin Constant e Sólon Ribeiro.

No dia 14 de novembro, com o objetivo de agitar os meios militares, o Major Sólon espalhou o boato de que o visconde de Ouro Preto havia decretado a prisão de Deodoro da Fonseca e Benjamin Constante. Em face desses boatos, os revoltosos ocuparam o quartel-general do Rio de Janeiro e depois o Ministério da Guerra. Depuseram o Ministério e prenderam Afonso Celso de Assis Figueredo, Visconde de Ouro Preto. Na tarde do dia 15 de novembro de 1889, na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, foi solenemente proclamada a República.

Deodoro da Fonseca assumiu imediatamente o governo provisório, devendo permanecer no cargo até que fosse elaborada uma nova Constituição. No dia seguinte à proclamação o primeiro Ministério da República foi formado e as primeiras medidas estabelecidas. No dia 21 de dezembro de 1889, foi convocada a Assembléia Constituinte, que deveria elaborar a primeira Constituição da República Brasileira. No dia 24 de fevereiro de 1891, foi promulgada a primeira Constituição Republicana.

No dia 25 de fevereiro de 1891. Deodoro da Fonseca foi eleito pelo Congresso Nacional, para o cargo de presidente da República e Floriano Peixoto para vice-presidente. O governo republicano encontrou inúmeras dificuldades. O presidente enfrentou a oposição do Congresso Nacional, que propôs a Lei das Responsabilidades, com o objetivo de restringir os poderes do Executivo Federal. Em consequência, Deodoro dissolveu o Congresso e decretou estado de sítio, em 3 de novembro de 1891. O Exército e a Marinha protestaram. Os navios de Guerra comandados por Custódio de Melo, ameaçavam bombardear o Rio de Janeiro caso Deodoro não renunciasse. Diante da iminência de uma guerra civil, Deodoro renunciou e entregou o poder ao vice-presidente Floriano Peixoto.

Deodoro da Fonseca morre no Rio de Janeiro, no dia 23 de outubro de 1892.

Informações biográficas de Deodoro da Fonseca:

Data do Nascimento: 05/08/1827
Data da Morte: 22/08/1892
Nasceu há 186 anos
Morreu aos 65 anos
Morreu há 121 anos

Última atualização do biografia de Deodoro da Fonseca: 06/11/2012.
« Demi Lovato « Denis Diderot « Deodoro da Fonseca » Dias Gomes » Didi »