Floriano Peixoto

Ex-presidente do Brasil

Biografia de Floriano Peixoto:

Floriano Peixoto (1839-1895) foi político, militar e presidente brasileiro. Foi o segundo presidente republicano, na chamada República Velha. Ficou no poder de 23 de novembro de 1891 até 15 de novembro de 1894. Sucedeu ao também militar Deodoro da Fonseca. O período que vai de 1889 a 1894, ficou conhecido como República da Espada, em virtude da condição militar dos dois primeiros presidentes do Brasil.

Floriano Peixoto, era o vice-presidente quando assumiu a chefia da nação, depois da renúncia de Deodoro da Fonseca. Essa atitude desencadeou várias manifestações, uma vez que a Constituição determinava nova eleição. Floriano argumentava que tal dispositivo aplicava-se apenas aos governantes eleitos pelo voto direto, o que não era seu caso. Graves revoltas contrárias ao governo fizeram "O Marechal de Ferro", como ficou conhecido, depor vários chefes de Estado. O clima de instabilidade tomou conta do país até o fim de seu mandato.

Floriano Peixoto (1839-1895) nasceu na vila de Ipioca, na cidade de Maceió, Alagoas. De família pobre, Floriano Vieira Peixoto, foi criado pelo tio e padrinho o coronel José Vieira de Araújo Peixoto. Cursou o primário em Maceió e aos 16 anos foi para o Colégio São Pedro de Alcântara no Rio de Janeiro. Ingressou na Escola Militar em 1861 e em 1863 recebeu a patente de Primeiro- Tenente. Participou de vários combates, sobressaindo-se especialmente na Guerra do Paraguai quando comandava o IX Regimento da Infantaria durante a Batalha de Aquidabã, que marcou o fim do conflito. No término da Monarquia, Floriano Peixoto exercia o posto de Major-General do Exército.

Floriano Peixoto era o vice-presidente do Brasil, no governo do Marechal Deodoro da Fonseca. Com a renúncia de Deodoro, no dia 23 de novembro de 1891, Floriano assume o poder. Bastante hábil, consegue articular em torno de si o apoio dos republicanos. Seu autoritarismo, sua política marcada por medidas populares e por ambições modernistas agradou aos radicais e aos positivistas.

Apesar do apoio de membros de vários setores da sociedade, surgiram as primeiras manifestações de opositores que argumentavam que pela Constituição, o vice só poderia assumir o cargo de presidente no caso de impedimento ou morte. Vários movimentos surgiram em oposição ao novo governo. Para enfrentar as dificuldades, Floriano contou com o apoio do Exército, do Partido Republicano Paulista e da população do Rio de Janeiro, principalmente da população mais pobre que aprovou medidas populares tomadas pelo governo que, usando da força, baixou o aluguel das casas, e o preço de vários produtos de primeiras necessidades.

Floriano Peixoto teve que travar ferrenha luta para se manter no cargo, enquanto se discutia a legitimidade do seu mandato. Em janeiro de 1892, as Fortalezas da Santa Cruz e Lage rebelaram-se, sob o comando do Sargento Silvino de Macedo, mas, foi logo sufocado pelas forças legalistas. Em março veio o manifesto dos 13 generais exigindo eleições. Floriano mandou prender todos.

Agravando a situação do governo, desencadeou-se no Rio Grande do Sul a Revolta Federalista que envolvia os chefes locais, tendo de um lado os federalistas, que tinham o apoio da Marinha, rebelada contra o Presidente, e de outros republicanos que recebiam o apoio de Floriano. Em 1893, a força naval passou de oposição à rebelião aberta. Navios de guerra ameaçavam atacar o Rio de Janeiro, exigindo a renúncia de Floriano. O governo resistiu e no fim do mandato a rebelião estava praticamente liquidada. Floriano venceu os inimigos do governo e da República. Em 1895, estabeleceu-se um acordo com a promessa de que a Constituição seria revisada.

Floriano Vieira Peixoto, "O Marechal de Ferro", como ficou conhecido, morreu em Divisa, hoje distrito de Floriano, no município de Barra Mansa, no Rio de Janeiro, no dia 29 de junho de 1895.

Informações biográficas de Floriano Peixoto:

Data do Nascimento: 30/04/1839
Data da Morte: 29/06/1895
Nasceu há 174 anos
Morreu aos 56 anos
Morreu há 118 anos

Última atualização do biografia de Floriano Peixoto: 06/11/2012.
« Florbela Espanca « Florestan Fernandes « Floriano Peixoto » Francesco Petrarca » Francisco Barreto de Menezes »