Pero Vaz de Caminha

Escrivão português

Biografia de Pero Vaz de Caminha:

Pero Vaz de Caminha (1450-1500) foi escrivão português. Autor da carta, que relata a entrada do Brasil para a História.

Pero Vaz de Caminha (1450-1500) nasceu em Porto, Portugal, no ano de 1450. Filho de Vasco Fernandes de Caminha, cavaleiro do Duque de Bragança. Herdou do pai o cargo de mestre da balança da Casa da Moeda, com a função de tesoureiro e escrivão. Casou-se com Dona Catarina e teve uma filha, Isabel. Foi nomeado escrivão da frota de Pedro Álvares Cabral, que partiu de Lisboa, numa segunda feira, nove de março de 1500.

A carta de Pero Vaz de Caminha, relatando a descoberta de novas terras, fixou a entrada do Brasil na História. É a mais completa das cinco que existem, sobre o fato acontecido na manhã de 22 de abril de 1500. Uma carta com sete folhas, o primeiro documento da História do Brasil, onde conta ao Rei Dom Manuel, o descobrimento de novas terras.

"Senhor, Posto que o capitão desta vossa frota e assim os outros capitães escrevem a Vossa Alteza a nova do achamento desta vossa terra que ora nesta navegação se achou, não deixarei também de dar disso conta a Vossa Alteza, assim como melhor puder ... Assim, Pero Vaz de Caminha inicia sua carta. "A terra em si é de muito bons ares, frescos e temperados. As águas são muitas, infinitas. Homens pardos, nus, com cocares de penas coloridas". Assim relatou com detalhes a paisagem e os habitantes locais.

O documento chegou a seu destino, mas depois sumiu por muitos anos. Arquivado na Torre do Tombo em Lisboa, só em 1793 foi encontrado por Juan Batista Munoz. Foi publicada pela primeira vez em 1817, no Rio de Janeiro, por Aires do Casal, em seu livro "Corografia Brasílica".

Pero Vaz de Caminha, seguiu com Cabral rumo à Índia. No dia 15 de dezembro de 1500, morreu durante um saque feito pelos mouros em Calicute.

Última atualização do biografia de Pero Vaz de Caminha: 23/09/2012.
Biografias Relacionadas
« Péricles « Pero Lopes de Sousa « Pero Vaz de Caminha » Peter Drucker » Pierre Simon Laplace »